Paixão x Dinheiro

O assunto acima tem sido debatido com muita freqüência na mídia, nas conferências,

nas conversas informais dentro e fora das organizações. Tenho a certeza que todos

nós, em algum momento, já nos deparamos com ele. Trabalhar por paixão - prazer,

satisfação - ou trabalhar por dinheiro? Eis a questão.

Segue abaixo, uma parábola que ouvi há muitos anos atrás na palestra do Prof. Gretz,

grande guru motivacional.

Um velho mestre do trapézio, nobre arte circense dedicava-se a formar jovens

trapezistas. Após vários meses de treinamento intenso um grupo de alunos tinha

agora que enfrentar o teste principal: seu primeiro salto no trapézio a 15 metros de

altura. Um a um, os jovens foram superando aquela prova, até que o último aluno

se posicionou na plataforma, aguardando o momento certo para o salto enquanto

a barra do trapézio balançava suavemente a sua frente. O tempo ia passando e o

jovem continuava lá, olhando para um ponto qualquer à sua frente, imóvel como que

congelado.

O velho professor, observando a hesitação do aluno, procurou ajudá-lo: - Vamos lá

rapaz... Pule!

Sem qualquer reação o jovem gaguejou: - Eu não posso... Não posso pular... Eu me

vejo morto lá embaixo estendido no chão.

Naquele instante o silêncio se fez sentir no picadeiro. Todos os presentes

acompanhavam tensos aqueles momentos.

O velho trapezista subiu até onde estava o jovem e calmamente disse-lhe: - Se não

tivesse certeza que você seria capaz de pular não pediria para fazê-lo. Você tem

conhecimentos técnicos e competência para executar este movimento. Vou lhe dar

um conselho... Preste atenção: primeiro atire seu coração e a mente naquela barra... o

corpo irá atrás... Acredite!

Passados alguns segundos o jovem aluno se lança no espaço resoluto e agarra o

trapézio, ouvindo então as palmas dos que o observavam naquele instante.

Assim, acredito que colocar o coração naquilo que fazemos é um dos grandes

segredos para o sucesso. Observo que os profissionais – empresários, gerentes,

vendedores, motoristas, médicos, operários, donas de casa, em fim, todos –

que colocam a paixão e a emoção naquilo que fazem, acabam sendo pessoas

reconhecidas e, portanto, pessoas de sucesso.

Mark Albion, pesquisador, escritor e palestrante norte-americano, perguntou, para

1.500 profissionais que, há 20 anos atrás, obtiveram seu diploma de MBA - Master in

Business Administration - nas melhores escolas dos EUA, o seguinte:

“Sua primeira opção de emprego após a conclusão do curso foi trabalhar

onde ganhariam dinheiro ou trabalhar naquilo que realmente lhes interessava,

independentemente do dinheiro pago por isso?” Estava em xeque a questão: dinheiro

x paixão.

O resultado da pesquisa ficou assim: dos 1.500 profissionais entrevistados , 83%

(1.245) haviam optado em trabalhar naquilo que lhes desse dinheiro e 17% (255)haviam optado em trabalhar naquilo em que tivessem paixão, naquilo que gostassem.

O que mais chama a atenção nesta pesquisa é o que vem a seguir: 20 anos depois,

dos 1.500 pesquisados, 101 tornaram-se multimilionários. Desses, 100 eram do grupo

que optaram em seguir sua paixão e apenas 1 era do grupo que optou em colocar o

dinheiro como principal item.

Assim, esta pesquisa reafirma a questão de que dinheiro é conseqüência, não causa,

ou seja: a paixão faz a diferença. O sucesso financeiro, normalmente, vem de um

trabalho feito com garra, energia paixão e amor.

Pense, Sinta e Aja. Sucesso nos seus desafios.

 

Prof. Heinz tem 22 anos de experiência como profissional de RH, empresário,

consultor e instrutor. É palestrante nas áreas de motivação, vendas e liderança, diretor

da Alfa Educação Corporativa Ltda. e autor do livro e DVD Atitudes de Resultado.

Informações Adicionais