Você acha seu chefe despreparado?

Queixa de uma jovem profissional, dedicada e reponsável: "- Entrego mais do que o solicitado, com alta qualidade, mas minha chefe questiona coisas como uma ida ao banheiro. Porque as empresas promovem pessoas despreparadas?".

Queixa de um jovem trainee: "- O chefe da outra área comete êrros e não assume. Joga a culpa nos trainees e estagiários! Porque promovem gente incapaz de assumir a responsabilidade dos seus atos?".

A pressa dos jovens em galgar posições mais rapidamente nas organizações pode estar gerando uma nova situação incômoda nas organizações. A pressa dos jovens, combinada com a situação de falta de profissionais em muitas áreas, está fazendo com que os chefes sejam cada vez mais jovens.

É claro que estes jovens chefes são os melhores preparados técnicamente para a função que exercem, dentro do que a empresa consegue atrair para os seus quadros. Devemos ainda considerar que êrros acontecem, como aconteciam antes.

Mas o que é importante na função de "chefe"? É mesmo "tocar" a rotina de atividades e gerar a produção esperada? Até aí, o "feitor" ou "capataz" de peões e escravos do passado estariam no mesmo nível. Dizem que a vida útil média dos escravos era de 8 anos apenas...

Chefes deveriam cultivar o hábito de entrar no escritório todas as manhãs e olhar a face de cada funcionário seu e tentar descobrir se alguém tem algum problema, se todos estão bem, se alguém traz um semblante preocupado. É para isso que existem chefes!

O papel de distribuidor de tarefas e atividades já perdeu quase todo seu valor. O chefe que não entender que o seu papel é de um facilitador da sua equipe e de cada funconário seu, estará fadado à extinção.

Chefes deveriam entender que alguns minutos de atraso custam menos do que o mau humor causado nos exemplos acima. Não tenho dúvidas de que estes jovens precisaram de algum tempo para se acalmarem e voltarem ao trabalho...

Ainda quando era solteiro, tive dificuldades em entender porque um funcionário precisava deixar o trabalho todas as vezes para acompanhar sua esposa nas consultas de rotina durante a gravidez. Nunca neguei nem manifestei insatisfação, mas confesso que não entendia totalmente. Claro, faltava-me a vivência da situação para entender o valor destes momentos!

Creio que os jovens chefes necessitam lembrar-se de que a sua função essencial é a gestão de pessoas. Quem não tem sensibilidade para entender as pessoas, não cumpre a sua função essencial e no longo prazo terão suas carreiras limitadas. Mesmo que sejam cobrados pelas suas metas, é a gestão de pessoas que confere a nobreza da sua posição. Ou seguem sendo meros "feitores" e "capatazes"?

Escrito por Yoshio Kawakami
Para contratar este palestrante: (11) 2221-8406 ou

Clique aqui

 

Informações Adicionais